Buscar
  • Klaus Scarmeloto

As raízes da "quinta coluna" na URSS

Atualizado: Out 2

Por Mikhail Chisty

Sobre traidores do Partido e do estado soviético

Mikhail Chisty, PHD em ciências históricas. Pela Universidade Estadual de Moscou 11/01/2019 16:00 Traduzido por Klaus Scarmeloto Original: https://kprf.ru/ruso/181714.html

  • Temos escrito repetidamente sobre as ações subversivas de cúmplices de Estados hostis à URSS, representados pelo grupo trotskista-bukharinista. Demonstramos como eles, infiltrando-se fraudulentamente no partido, no aparato administrativo soviético, no Exército Vermelho, no NKVD, formaram células subterrâneas nos níveis republicanos, locais e distritais, em quase todas as instituições, em todas as empresas e em todos as unidades militares, preparando-se para apunhalar nosso país nas costas em caso de ataque de um inimigo externo. Neste artigo, vamos nos concentrar nas origens da “quinta coluna”.

  • A prática mostra que algumas pessoas fazem as seguintes perguntas: "Como poderiam os principais representantes do Partido Comunista, aqueles que se esforçaram para a vitória da Revolução de Outubro, a criação e fortalecimento do Exército Vermelho e o desenvolvimento da economia socialista, passar para o campo da contrarrevolução e cúmplices do imperialismo mundial?" Mas provamos que tudo isso era uma dura realidade. Esta é a primeira coisa.

  • Em segundo lugar, após a derrota do bloco traiçoeiro de direita, uma nova facção de derrotistas e capituladores foi gradualmente formada na URSS. Não estamos falando apenas de grupos dissidentes, mas também dos chamados. "Bilhetes do partido", porque juravam fidelidade à URSS, aos fundamentos do marxismo-leninismo, mas na realidade estavam a trabalhar para destruir o socialismo e a nossa pátria. Foi um grupo de degenerados partidários na pessoa de Gorbachev, Yakovlev, Yeltsin e outros que perpetraram o pogrom do estado soviético.

  • A este respeito, não pode deixar de se colocar a seguinte questão: como é que se formou uma “quinta coluna” no país do socialismo vitorioso? Para compreender a essência do que está acontecendo, bem como os motivos por trás da transição dos trotskistas e bukharinistas para o campo da reação aberta, deve-se lembrar as peculiaridades dos processos que se desenrolam no Partido Comunista no poder.

A fonte da ameaça ao poder dos trabalhadores

  • Em primeiro lugar, é preciso lembrar de onde vem a ameaça ao poder dos trabalhadores. Não se trata apenas do imperialismo mundial, que visa minar as bases do estado dos trabalhadores e camponeses. Também não é totalmente correto reduzir tudo à sabotagem levada a cabo por organizações de emigrantes brancos, grupos dissidentes clandestinos, etc. Sem dúvida, as tendências correspondentes devem ser interrompidas. No entanto, não se deve esquecer que a atividade de carreiristas sem princípios que se filiam ao Partido Comunista, que consideram a propriedade pública como sua própria presa, sujeita à divisão, junto com oponentes de classe latentes mascarados de comunistas, não é menos perigosa para os trabalhadores.

  • A este respeito, não faria mal recordar as advertências relevantes do V.I. Lenin. Assim, durante seu discurso no VIII Congresso do RCP (b), ele afirmou que carreiristas que se autodenominam comunistas se infiltraram nas fileiras do partido: “Aqui e ali, carreiristas, aventureiros, que se diziam comunistas e nos enganaram, que se arrastaram até nós porque os comunistas agora estão no poder. "

  • Além disso, houve um afluxo maciço de representantes de partidos oportunistas na pessoa do RCP (b). Muitos mencheviques, literalmente ontem atacando os bolcheviques, imediatamente se juntaram às suas fileiras. Isso se aplica, em particular, ao grupo de Leon Trotsky ("Mezhraiontsy"). Vladimir Lenin percebeu, com razão, um problema nisso. Assim, no seu artigo "Sobre o Expurgo do Partido", publicado numa das edições do jornal Pravda de 1921, afirmou que "todo oportunista se distingue pela adaptabilidade... e os mencheviques, como oportunistas, adaptam-se, por assim dizer," por princípio ". seguindo a tendência predominante entre os trabalhadores, eles são repintados com uma cor protetora, como uma lebre que fica branca no inverno. " Não admira que V.I. Lenin deu a tarefa de limpar o Partido dos elementos correspondentes. Pelo menos o curso posterior dos eventos confirmou a correção de sua posição. Afinal, as atividades de carreiristas e revisionistas sem princípios, que de repente se juntaram ao Partido Comunista, objetivamente os levaram ao campo de cúmplices de países hostis à URSS. Tentando encobrir os vestígios de suas atividades criminosas, eles se voltaram para os serviços de inteligência imperialistas em busca de ajuda.

Plano de Lyote

  • Aproveitando esta circunstância, o capital internacional fez esforços para cultivar seus próprios agentes entre o partido soviético e o aparato estatal. Isso é evidenciado pelo conteúdo das memórias do ex-chefe da 5ª Diretoria do KGB da URSS, General F.D. Bobkov "Como os traidores foram preparados". Sem dúvida, a figura mencionada pode ser tratada de diferentes maneiras. Por exemplo, a transferência de Bobkov para o serviço do oligarca Vladimir Gusinsky o caracteriza plenamente. No entanto, as informações registradas pelo general são valiosas.

  • Portanto, Philip Bobkov lembrou que, no final dos anos 1940, os líderes da Lubyanka conseguiram um plano secreto dos serviços especiais ocidentais para minar o sistema soviético por dentro. Seu codinome é Plan Lyote. O documento leva o nome de um general francês que lutou na Argélia. O citado chefe militar mandou plantar árvores ao longo das estradas argelinas na expectativa de que em décadas crescessem avenidas à sombra das quais os franceses pudessem descansar. Por sua vez, o plano dos serviços especiais dos estados imperialistas foi desenhado para, gradualmente, de geração em geração, cultivar um estrato em nosso país, que no momento decisivo atuará como uma força de ataque no momento do golpe antissoviético e da destruição da URSS. O Ocidente pretendia criar em nosso país um estrato orientado para ele, não só entre a intelectualidade,

  • O capital mundial estava ciente de que ele e seus cúmplices não podiam declarar abertamente sua intenção de restaurar o capitalismo. Do contrário, a sociedade, percebendo a natureza antipopular de suas intenções, os rejeitará instantaneamente. A esse respeito, em um memorando secreto da inteligência americana, a tarefa foi definida para conseguir a restauração do sistema burguês sob o pretexto de uma luta para melhorar o socialismo. Portanto, tratava-se de "não apenas pregar o antissoviético e o anticomunismo, mas também cuidar das mudanças positivas nos países socialistas".

  • F. D. Bobkov também escreveu sobre o encontro de delegações de órgãos de segurança do Estado dos países da comunidade socialista, realizado em Havana em 1974. Segundo ele, todos ficaram chocados com o discurso do chefe do serviço de contraespionagem da Tchecoslováquia, Molner. Tendo advertido que "o inimigo está procurando força dentro de nossos estados", ele acrescentou que "o perigo real virá quando ... as pessoas no poder cooperarem com o inimigo". Segundo o chefe do serviço de contraespionagem da Tchecoslováquia, “os métodos de sua reaproximação com o inimigo podem ser diferentes. Pode ser um desejo de garantias de fortalecimento da própria posição no poder, uma convicção fraca na cosmovisão socialista ... ”. Por exemplo, ele lembrou como na Tchecoslováquia, durante o tempo de Dubcek, os líderes do estado “se cobriram com juramentos de lealdade às idéias de Marx e Lenin”. Nesse caminho, como sabemos, os inimigos do socialismo em nosso país fizeram uma ação suja sob o pretexto de se esforçarem para "melhorar" o sistema soviético. Assim, durante a "perestroika" de Gorbachev, foi declarada oficialmente a intenção de "renovar" o socialismo, de fazer a transição para suas formas mais "democráticas". No entanto, sabemos o que realmente se passava nas mentes de Mikhail Gorbachev, Alexander Yakovlev e outros. Pelo menos as figuras acima mencionadas afirmaram retrospectivamente que usaram sua própria filiação ao partido para destruir o sistema socialista soviético. Discursos demagógicos semelhantes tentaram atrair trabalhadores e trotskistas nas décadas de 1920-1930. Em palavras, eles declararam sua intenção de se opor à suposta “burocratização” e por uma “genuína democracia operária”.

  • Tudo conforme previsto no referido plano secreto dos serviços de inteligência imperialistas.

Testemunhos do ex-diretor da American Intelligence

  • Talvez os dados registrados no livro de F.D. Bobkova, são fictícios? Tudo o que ele disse é um exagero? No entanto, se prestarmos atenção ao conteúdo das memórias de estadistas e políticos ocidentais aposentados (por exemplo, analisarmos as memórias do ex-diretor da CIA dos EUA Allen Dulles), veremos que o mesmo está escrito ali. A este respeito, é aconselhável dizer algumas palavras sobre o livro Doutrina de Dulles: a Rússia deve ser colocada em seu lugar! De grande interesse para nós é o seu 12º capítulo com o seguinte título “Agentes da CIA. Como são recrutados os líderes partidários dos sovietes ”.

  • Allen Dulles escreveu que os cidadãos soviéticos, temendo uma possível exposição, recorriam periodicamente aos serviços de inteligência estrangeiros com a proposta de fornecer-lhes informações sobre a URSS. Os indivíduos relevantes pretendiam fazer isso se os serviços de inteligência ocidentais estivessem dispostos a pagar-lhes uma quantia impressionante de dinheiro. Assim, essas pessoas, segundo o ex-diretor da CIA, buscaram garantir sua própria posição.

  • Dulles enfatizou que uma pessoa que espera evitar adequadamente a punição criminal está cometendo uma violação ainda maior da lei. O ex-chefe da inteligência americana escreveu que, com toda probabilidade, essa pessoa começará a trabalhar ativamente para a inteligência ocidental, já que não vê outra saída para a situação. Além disso, os serviços de inteligência ocidentais sempre o informam que podem expô-lo perante as autoridades soviéticas a qualquer momento.

  • Por que os atos ilícitos do partido soviético e dos líderes do estado poderiam ser sujeitos a sanções? Dulles escreve que um dos principais crimes entre os comunistas é "o desvio da linha do partido em suas ações ...". Em outras palavras, trata-se de responsabilidade por sabotar decisões de autoridades superiores, por não observância dos princípios do centralismo democrático. Mas houve quem quisesse saquear a propriedade pública. Elementos semelhantes, procurando encobrir os vestígios de seus crimes, também encontraram uma maneira de salvar suas próprias peles em cooperação com serviços de inteligência estrangeiros.

  • Tudo isso teve uma relação direta com a gangue trotskista-bukharinista. Fracasso por eles das decisões tomadas pelo governo soviético, ignorando a carta do Partido Comunista, a formação de grupos antigovernamentais clandestinos por eles, preparação pelo pessoal relevante de atentados contra a vida dos líderes do Partido e do Estado soviético, tomada armada do poder, iniciando sabotagem nas instalações de produção, no transporte - tudo isso é seu "histórico", atos criminosos eram mais do que suficientes para sua fácil exposição e sanções subsequentes. Esta circunstância os obrigou a buscar uma forma de encobrir suas atividades em conluio com os serviços de inteligência de Estados hostis ao nosso país. Bem, o apelo de Trotsky para repetir as "táticas de Clemenceau" levou as pessoas envolvidas a buscar ativamente contatos com os serviços de inteligência ocidentais.

  • Isso é exatamente o que está registrado nas memórias de Allen Dulles. Ele observou que os serviços de inteligência das "principais potências mundiais" acompanharam de perto os processos que se desenvolviam no partido e na "elite" estatal da URSS. Durante vários anos, os serviços de inteligência ocidentais, de acordo com o ex-chefe da CIA, acompanharam fatores relacionados a atividades, discursos e "a vida pessoal dos líderes comunistas" "do topo aos níveis mais baixos da hierarquia do partido". Dulles também acrescentou que as agências de inteligência ocidentais têm procurado periodicamente estabelecer contatos com indivíduos que são ameaçados de demissão ou penas mais severas. São eles que procuram convencê-los de que precisam de apoio e só o receberão se concordarem em cooperar com os serviços de inteligência dos países capitalistas. Os líderes ocidentais os informam que caso contrário correm o risco de serem expostos. Tudo isso é bastante comparável com as peculiaridades do próprio processamento de nossa moderna "oligarquia offshore", que o imperialismo mundial está tentando chantagear com a possibilidade de confiscar os bens roubados que retirou da Rússia em seu favor. Como resultado, nossos compradores estão se esforçando para preservar seu capital em bancos estrangeiros por meio de concessões estratégicas adicionais à "comunidade mundial" - tanto na política interna quanto externa.

  • É bastante claro que medidas semelhantes foram utilizadas não apenas pelos serviços especiais americanos, mas também pelos serviços de inteligência de outros países, tanto no período pré-guerra como no pós-guerra.

  • Foi assim que se formou a “quinta coluna” na URSS, pronta à “hora X” para apunhalar pelas costas o nosso estado. Mas, na véspera da Grande Guerra Patriótica, foi derrotado em tempo hábil. No entanto, mais tarde, a camada correspondente começou a se formar novamente. A ativação desse processo foi facilitada por uma série de erros grosseiros cometidos durante o "degelo" e "estagnação". Relutância em implementar V.I. Lenin e I.V. Stalin, em atrair trabalhadores para a gestão dos assuntos do estado, no desenvolvimento da democracia soviética, a rejeição da ditadura do proletariado, a perda real de controle sobre o aparelho administrativo por parte dos órgãos de segurança do estado - tudo isso levou a um aumento na separação da camada administrativa das massas trabalhadoras, para sua "proximidade", a penetração em suas fileiras de carreiristas e gananciosos, bem como inimigos ocultos do poder soviético. Este último, tentando evitar a exposição, procurou uma saída em cooperação com serviços especiais estrangeiros. Nas profundezas da camada correspondente, os futuros Gorbachevs, Yakovlevs e Yeltsins amadureceram. De uma forma ou de outra, este grupo mostrou-se "em toda a sua glória" durante os anos da "perestroika". Os degenerados, tendo entrado em uma conspiração com os estados ocidentais, sob a bandeira do "socialismo reformador", perpetraram um pogrom. Eles tomaram uma série de medidas visando o colapso de nosso país. Estamos experimentando as consequências dessa experiência até o momento. Os degenerados, tendo entrado em uma conspiração com os estados ocidentais, sob a bandeira do "socialismo reformador", perpetraram um pogrom. Eles tomaram uma série de medidas visando o colapso de nosso país. Estamos experimentando as consequências dessa experiência até o momento. Os degenerados, tendo entrado em uma conspiração com os estados ocidentais, sob a bandeira do "socialismo reformador", perpetraram um pogrom. Eles tomaram uma série de medidas visando o colapso de nosso país. Estamos experimentando as consequências dessa experiência até o momento.

Ou a ditadura do proletariado ou a ditadura da burguesia

  • Assim, a luta de classes de forma alguma morre, mesmo depois da vitória do socialismo. Como os acontecimentos mostraram, o perigo da vingança da contrarrevolução vem em grande medida da parte degenerada do partido e dos quadros administrativos do estado. Nesse sentido, realizando expurgos regulares do poder e das estruturas partidárias, o desenvolvimento do controle de pessoas reais sobre o aparelho do Estado pode impedir o crescimento de processos que conduzam a consequências trágicas. A questão é trivial e simples, e ao mesmo tempo muito perigosa e alarmante. Ou um tumor cancerígeno na cara da “quinta coluna” que se infiltrou nas fileiras do Partido e do aparato soviético espalhará metástases em todas as esferas do Estado e da sociedade, e no futuro irá arruinar o país, entregá-lo ao massacre dos predadores imperialistas começará a exterminar o povo por métodos socioeconômicos em nome das ambições gananciosas do mundo e da oligarquia local, ou o tumor canceroso correspondente será removido o mais rápido possível pela adoção pelo destacamento armado do Partido Comunista na pessoa das agências de segurança do estado soviético em relação aos elementos relevantes. E então o país terá uma nova chance.

  • Sim, nossas características de traidores e inimigos da Pátria são as seguintes. Essas pessoas não merecem nenhuma condescendência, nem diplomacia, nem misericórdia. Aqueles que buscaram, junto com os invasores fascistas alemães, derrotar a União Soviética e foram justamente levados pelos valentes defensores do povo na pessoa dos KNVDs em Voronka e sujeitos a uma justa retribuição, bem como aqueles que destruíram nossa Grande Potência nos anos 1980-1990 anos e iniciou a política de genocídio social de seu próprio povo - todos eles não são "adversários políticos", não apenas "dissidentes", mas um verdadeiro câncer no corpo do país. E isso só pode ser eliminado, nada mais.

  • Se alguém, depois de ler estas linhas, vier com o desejo de nos censurar por "insultar a memória dos reprimidos", então direi o seguinte de antemão - a menos que os cúmplices do inimigo externo, aqueles que pretendiam lançar nossa Pátria à mercê dos nazistas, sejam dignos de veneração, respeito, etc. .? Nem de forma alguma. Eles merecem nada além de ódio, reprovação e dor eterna. Porque todos os horrores trazidos ao nosso país e ao nosso povo pela ocupação nazista estão na consciência tanto dos nazistas quanto de seus capangas (e isso também se aplica àqueles que realmente ajudaram os invasores alemães e aqueles que se prepararam para as ações apropriadas, mas não as executaram porque ele foi exposto a tempo). Portanto, é indecente não criticar os cúmplices do inimigo e declarar o fato de sua justa punição, mas elogiar a traição e a traição.

  • Em suma, tudo o que foi dito acima confirmou que o Estado soviético tem apenas duas opções. Ou a ditadura do proletariado, que garante a prevenção da vingança da contrarrevolução burguesa e protege o sistema socialista, graças ao qual o país pode avançar, conquistar novos horizontes e crescer o bem-estar do povo. Ou os jogos no "estado de todo o povo", nos "valores humanos universais", na "democracia universal" supraclasse, acabam inevitavelmente, como a história o mostra, a instauração da ditadura da capital oligárquica que se vingou. Este último traz o colapso do país, a transformação em uma semicolônia, a destruição do potencial humano, o aumento da corrupção e do crime. Outra coisa é que esses processos podem ser realizados por diferentes métodos e assumir diferentes formas (de leve e moderada a difícil).



59 visualizações

119-4175-0366 ou

cienciasrevolucionárias@gmail.com