Buscar
  • Klaus Scarmeloto

Registro da Conversa entre o Comandante Stalin e o Embaixador do Afeganistão: Sultão Ahmed Khan


Traduzido por Fernanda de Melo Arte e design Fernanda de Melo Original: https://revolutionarydemocracy.org/rdv20n1/afghanistan.htm

Registro da Conversa entre o Comandante Stalin e o Embaixador do Afeganistão, Sultão Ahmed Khan, 6 de junho de 1946, 22 horas.


"Essa conversa é interessante, pois o líder soviético sugere que as mulheres no Afeganistão tenham o direito de usar o chador e que esforços deveriam ser feitos para conquistar os mulás progressistas para construir a educação nacional no país. O embaixador afegão contrastou as visões contrárias de Stalin e do rei Amanullah, que proibiu o chador; 'Generalíssimo Stalin - é um homem progressista, mas falou a favor de uma mulher para usar seu chador, e Amanullah Khan, que voltou da Europa exigiu que as mulheres tirassem seus chadores'. Stalin rejeitou os esforços de Amanullah para banir o chador nas seguintes palavras: 'se for assim, Amanullah Khan é simplesmente um tolo. Ele abordou o assunto levianamente '. A questão do direito de usar o chador é particularmente instrutiva, pois hoje em alguns Estados da Europa, como França e Bélgica, o direito de usar burca e niqab em público foi expressamente proibido em nome do "secularismo", laicita , e a 'dignidade das mulheres'. Na realidade, essas legislações patrocinadas por direitistas representam políticas islamofóbicas contra as comunidades de imigrantes." - Vijay Singh.


Ahmed Khan disse que desde o primeiro dia de sua estada na União Soviética, seu desejo constante era ver e ter a honra de encontrar o maior homem do mundo e de todos os tempos.


Com. Stalin afirma que ele, portanto, é o culpado pelo fato de não ter recebido o Embaixador. Ele - Com. Stalin - pede desculpas por isso.


Ahmed Khan disse estar bem ciente de que o Generalíssimo Stalin estava ocupado com enormes questões.


Generalíssimo Stalin, diz Ahmed Khan, não apenas o maior homem da Rússia, mas também um professor para o mundo inteiro na causa do arranjo de uma nova vida. Como é do conhecimento do Generalíssimo Stalin, o Afeganistão é um país muito atrasado em termos de ordem social. Ele - Ahmed Khan, portanto, quer uma consulta do Generalíssimo Stalin sobre o que o governo afegão deve fazer para promover o progresso no Afeganistão. Como resultado de uma relação especial entre o Afeganistão e outras potências estrangeiras no passado, o povo afegão ficou muito para trás em sua cultura.


Com. Stalin responde que eles precisam aumentar a alfabetização das pessoas pela introdução da educação obrigatória universal. Isso ajuda muito.


Ahmed Khan disse que todas as iniciativas progressistas do governo afegão encontram resistência do povo sombrio e atrasado do Afeganistão.


Com. Stalin diz que o Japão era um país atrasado 70-80 anos atrás. Mas a educação primária foi introduzida no Japão. Realmente ajudou. Se o governo quiser, quem pode impedir?


Ahmed Khan disse que o povo do Afeganistão é muito desobediente. Duas das revoluções que aconteceram no Afeganistão, foram dirigidas contra as escolas e contra o fato de as mulheres tirarem seus chadors.


Com. Stalin diz que uma mulher pode continuar a usar o chador se quiser, mas ele, Com. Stalin não diz que a escola deve ficar sem um mulá. Precisamos encontrar pessoas progressistas entre os mulás e usá-las. Ele, Com. Stalin, não oferece educação anti-religiosa.


Ahmed Khan disse que existem muito poucas pessoas progressistas entre os mulás.


Com. Stalin declarou que se o Afeganistão permanecesse um país atrasado, seria ruim. O Afeganistão deve introduzir a educação primária universal, portanto, o país precisa organizar mais escolas.


Ahmed Khan disse que havia 3.000 escolas no Afeganistão agora.


Com. Stalin declarou que não era suficiente e perguntou se havia uma Academia de Ciências, universidades e professores no Afeganistão.


Ahmed Khan disse que essas instituições existiam no Afeganistão, e também tinham seus próprios professores, que estudaram na Europa.


Com. Stalin disse que o Afeganistão precisa ter mais escolas de ensino médio, onde possam preparar professores para as áreas rurais. Mas os mulás progressistas que não eram contra a educação não precisavam ser repelidos, mas aqueles que eram contra a educação deveriam ser criticados.


Com. Stalin diz que, por exemplo, em 1918 havia 3% de pessoas alfabetizadas e 97% de analfabetas no Azerbaijão. Agora, a população alfabetizada constitui 95%, e a população analfabeta - 5% no Azerbaijão.


Ahmed Khan , disse que devido ao que o Generalíssimo Stalin havia dito, é bastante claro que ele era um professor para o mundo inteiro.


Ahmed Khan disse que havia mais uma pergunta. No Afeganistão, foi necessário mudar o alfabeto árabe, que era muito difícil de aprender.


Com. Stalin diz que no Afeganistão é necessário introduzir duas escritas, uma árabe, para que os mulás não se rebelem contra o governo, e a outra - secular, talvez, a escrita latina. A escrita árabe retarda o progresso no Afeganistão, então você deve introduzir uma escrita fonética. Na China, a situação é ainda pior. Lá, eles precisam aprender a ler e escrever por 10 anos.


Ahmed Khan disse que era a oferta absolutamente certa.


Com. Stalin pergunta se Amanullah Khan estava vivo e se ele era um homem progressista.


Ahmed Khan respondeu que Amanullah Khan parecia viver na Itália. Quanto a se o Amanullah Khan era um homem progressista ou não, ele, Ahmed Khan, pode dizer o seguinte: Generalíssimo Stalin é um homem progressista, mas falou a favor de uma mulher para usar seu chador, e Amanullah Khan, que voltou da Europa exigiu que as mulheres tirassem seus chadores.


Com. Stalin diz que se for assim, Amanullah Khan é simplesmente um tolo. Ele abordou o assunto levianamente.


Ahmed Khan disse que Amanullah Khan era realmente um homem estúpido.


Ahmed Khan disse que tinha uma pergunta sobre as relações soviético-afegãs. Ele, Ahmed Khan, não sabe por que há um atraso na questão da fronteira. Parece que o governo soviético tem algumas dúvidas sobre o Afeganistão. No entanto, não é razoável.


Com. Stalin diz que ordenará que o assunto seja considerado e resolvido. A solução deste problema foi atrasada por acidente. Agora isso tem que ser resolvido no interesse de ambas as partes. Ele conversaria com Molotov e descobriria quanto tempo levaria para resolver o problema.


Ahmed Khan agradeceu ao Com. Stalin.


Ahmed Khan diz que deseja abordar com um desejo pessoal. É sobre Ghulam Sadiq Khan, preso pelas autoridades soviéticas. Aparentemente, houve algum mal-entendido. Ghulam Sadiq estava em Berlim quando o Exército Vermelho entrou na cidade. Ele pediu a proteção do oficial soviético. Se ele fosse contra a União Soviética, ele deixaria rapidamente Berlim antes do avanço do Exército Vermelho. Pelo que ele, Ahmed Khan, sabe, Ghulam Sadiq não apoiava nenhum relacionamento com os nazistas na Alemanha quando Hitler estava no poder. Talvez Ghulam Sadiq seja culpado de qualquer coisa, mas ele é um homem simples, não um ministro, e não pode causar nenhum dano à União Soviética. A esposa de Ghulam Sadiq é sua prima, de Ahmed Khan, e ela o perturba muito por causa de seu marido.


Com. Stalin perguntou se o governo afegão aceitava Ghulam Sadiq.


Ahmed Khan diz que Ghulam Sadiq já foi privado da cidadania afegã, mas quando chegou de Berlim a Moscou pediu perdão ao rei afegão. O rei atendeu ao seu pedido e Ghulam Sadiq recebeu um passaporte afegão. A propriedade de Ghulam Sadiq no Afeganistão foi confiscada. No entanto, Ghulam Sadiq tem suas casas em Berlim e Istambul, onde pode ir. Ele, Ahmed Khan, pede a libertação de Ghulam Sadiq e permissão para que ele vá aonde quiser.


Com. Stalin diz que descobrirá por que Ghulam Sadiq foi preso e quais foram as acusações contra ele. Ele, Com. Stalin, não pode dar ordens sem consultar o Ministério do Interior o que está acontecendo.


Durante a conversa seguinte, Com. Molotov estava presente.


Com. Stalin descreve o conteúdo de sua conversa para Molotov.


Com. Molotov disse que, em relação à fronteira, é necessário chegar a um acordo sobre as questões controversas, em particular, sobre as águas do rio Kushka e sobre a barragem de Murghab.


Ahmed Khan disse que todas essas questões poderiam ser resolvidas rapidamente e, para isso, ele estaria disposto a permanecer em Moscou por mais uma semana e meia a duas semanas.


Com. Molotov diz que as questões controversas devem ser tentadas para serem resolvidas e promete se encontrar com o embaixador na sexta-feira ou no sábado para discuti-las.


Com. Molotov disse que, em relação a Ghulam Sadiq, as autoridades investigadoras estão agora tentando descobrir sua relação com os alemães.


Com. Stalin diz que, se houver alguma possibilidade, o governo soviético tentará libertar Ghulam Sadiq Khan. Mas o que fazer se Ghulam Sadiq for um agente alemão e for espionar?


Ahmed Khan diz que é impossível, porque ele conhece Ghulam Sadiq muito bem. Ghulam Sadiq é uma pessoa anti-britânica. Os alemães podem falar com ele sobre a campanha para a Índia. Mas foi apenas uma conversa. Ghulam Sadiq Khan não causou nenhum dano à União Soviética.


Com. Stalin disse que, se possível, o governo soviético libertará Ghulam Sadiq.


Ahmed Khan, obrigado Com. Stalin pela entrevista.


Gravado por V. Pavlov


RGASPI. F. 558. Op. 11. D. 251. LL. 1-4.

1,894 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo